Histórias da Humanidade- Portuguese

28) Será que ainda faz sentido? 

Admitir que se está errado ou que se agiu mal numa determinada altura não é fácil. Ultrapassar-se a si próprio e o seu orgulho, admitir que se cometeu um erro a si próprio e a outros. Nem todos o fazem. E não em todas as situações. 

Acredito em expressões como “mais vale tarde do que nunca” e “nunca é demasiado tarde para se ser a pessoa que se quer ser” (apesar de não saber quem as disse inicialmente). Pode demorar, mas continua a valer a pena dizer-lo, quando nos apercebemos que cometemos um erro. 

Sem entrar em pormenores, alguém me disse recentemente que estava infeliz com a maneira como se tinha comportado há meses atrás e expressou o desejo de se explicar. Soou a um pedido de desculpas. Apreciei-o.